Seguidores

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

ENCONTRO DE AMOR - Célia Laborne Tavares


   


Não fiquemos assim
parados e estáticos      
estendendo as mãos
para colher o mar.

Não esperemos a noite
contagiada de perguntas
procurando respostas
que não são nossas.

Deixemos, talvez
olhos nos olhos
corpo na areia moldável
e susceptível de ternura.

Sigamos confiantes
por esse portal, onde
a cada dia nos encontramos
e nos perdemos
numa luz imortal
da distância que nos separou

e nos chama até o final.

2 comentários:

Lecy'ns disse...

Olá..

Amei o poema e a imagem muito original, perfeito!
Parabéns pelo blog! Adorei tudo por aqui.

Forte abraço,
Lecy'ns

Beatriz Bragança disse...

Querida Irene
Que belo poema de amor! Obrigada por ter partilhado uma tão bonita composição poética!
Parabéns pela pesquisa.
Beijinhos da
Beatriz