Seguidores

sábado, 16 de agosto de 2014

Há pessoas que embora muito simples e pobres nunca são esquecidas

Era eu miúda, portanto talvez perto de uns 60 anos, este homem cujo nome

nunca soube, pois apenas era chamado de CALOÇA, era muito conhecido

e estimado em Alhos Vedros, terra onde eu nasci.

Era uma pessoa muito pobre, mas honesta. Vivia da apanha e venda da

lamejinha, na altura muito consumida pela população.

Ao frio, à chuva ou ao sol, sempre que a maré deixava, lá ia o CALOÇA

para o seu trabalho, para ganhar uma miséria, para sobreviver.

Mas era muito estimado por toda a população, e esta foto foi tirada

por uma pessoa da vila, que a guardou e foi sempre passada de geração

em geração.

Tenho pois muito gosto de fazer um post sobre este homem, que passou

pela vida respeitando todos e nunca roubando nada a ninguém.

Nasceu pobre. Morreu pobre, mas ainda hoje não esquecido.

Irene Alves

1 comentário:

alfacinha disse...

é bem lembrar as boas pessoas
cymprimentos de Antuérpia