Seguidores

segunda-feira, 31 de março de 2014

domingo, 30 de março de 2014

quarta-feira, 26 de março de 2014

retirado da página de Facebook de Lita Lisboa

MIA COUTO
.
Não saberei nunca
dizer adeus

Afinal,
só os mortos sabem morrer

Resta ainda tudo,
só nós não podemos ser

Talvez o amor,
neste tempo,
seja ainda cedo

Não é este sossego
que eu queria,
este exílio de tudo,
esta solidão de todos

Agora
não resta de mim
o que seja meu
e quando tento
o magro invento de um sonho
todo o inferno me vem à boca

Nenhuma palavra
alcança o mundo, eu sei
Ainda assim,
Escrevoagina 

sexta-feira, 21 de março de 2014

Dia Mundial da Poesia

"Sou marujo, mestre e monge,
Marujo de águas paradas,
Mas que levam os navios
às terras por mim sonhadas.

Também sou mestre de escola,
Em que toda a gente cabe,
Se depois de estudar tudo
sentir bem que nada sabe.

Mas nem terra ou mar me prendem.
E para voar mais longe,
do mosteiro que não houve,
E não haja, me fiz monge."

Agostinho da Silva

quinta-feira, 20 de março de 2014

Bem-vinda PRIMAVERA

"Podes cortar todas as flores mas não podes
impedir a Primavera de aparecer."l

sábado, 15 de março de 2014

P A C I Ê N C I A!!! preciso...

Depois de ter gasto 150 Euros( sim foi mesmo isso ) com o meu computador em técnicos

de reparação dos ditos, que nada resolveram e ainda o fizeram ficar pior,( eu que pouco

percebo destas coisas) além de fazer alguns trabalhos com um PC, resolvi comprar outro,

dentro das m/possibilidades.

Tenho-o em casa desde ontem. Tem o sistema operacional Windows 8 (alguém tem?)

e a verdade é que é bem diferente do outro sistema que tinha o Vista. Agora com este

novo há coisas que fazia com o outro, que não consigo fazer com este, como por exemplo

abrir um PPs, ou passar música de um CD para o PC.

Com tudo isto, estou imensamente atrasada com as visitas a quem me deixou comentários

nos últimos dias, do que peço desculpa.

Se por acaso, tiverem esse sistema operacional, digam, porque estou mesmo a precisar

de umas ajudas.

Irene Alves

quinta-feira, 13 de março de 2014

PRISIONEIRA
    Célia Laborne Tavares


A poesia acariciou minhas noites
- noites nascidas no ocaso da infância,
correndo medrosas,  por estradas sem luz.
Eu a retive nos braços e a beijei
na solidão de poemas sem destino.

A música acordou-me em madrugadas
chegando pura, com o vento primeiro
que despertou meus sentidos.
Envolvi-me toda em seus afagos,
- prisioneira sem algemas,
estranha prisioneira.


quarta-feira, 12 de março de 2014

sábado, 8 de março de 2014

sexta-feira, 7 de março de 2014

quinta-feira, 6 de março de 2014

terça-feira, 4 de março de 2014

segunda-feira, 3 de março de 2014

sábado, 1 de março de 2014

Fantástico!!!



(obrigada Joaquín)