Seguidores

quarta-feira, 30 de abril de 2014

terça-feira, 29 de abril de 2014

segunda-feira, 28 de abril de 2014

sábado, 26 de abril de 2014

sexta-feira, 25 de abril de 2014

quinta-feira, 24 de abril de 2014

quarta-feira, 23 de abril de 2014

segunda-feira, 21 de abril de 2014





E depois "da loucura" dos benfiquistas sobretudo em Lisboa, após o SLB se ter

consagrado vencedor do campeonato deste ano, (que pena não ver o mesmo

entusiasmo) para combater as fortes medidas de austeridade e o desrespeito

deste Governo para com o povo. Mas dizia, depois de tudo, isso, que haja

um pouco de serinadade.Que este vídeo ajude.

quarta-feira, 16 de abril de 2014

terça-feira, 15 de abril de 2014

segunda-feira, 14 de abril de 2014

sábado, 12 de abril de 2014

quinta-feira, 10 de abril de 2014

quarta-feira, 9 de abril de 2014

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Eu nasci em Alhos Vedros

Este vídeo mostra um pouco de um cortejo que decorreu ontem na Vila, no âmbito das comemorações dos 500 anos do Foral de Alhos Vedros. Sinceramente não gostei muito da forma como decorreu, porque misturar o antigo com o actual não me parece correcto. Também discordo que se comemore o Foral todos os anos (como há muito acontece). Agora que são os 500 anos teria lógica, o pior é terem andado de há uns anos para cá a comemorar todos os anos! Isto na minha modesta opinião. Mas numa localidade em que pouco acontece, em que a Cultura é quase inexistente, acaba por ser este tipo de comemorações e o Carnaval organizado pela SFRUA "A Velhinha", que de Carnaval também convenhamos passa totalmente ao lado da crítica social, e é uma mera exibição de corpos e vestimentas, com uma música não ao vivo, isto é, apenas de aparelhagem sonora. Mas volto a repetir, para uma Vila onde praticamente nada acontece ao longo de muitos meses do ano, é uma forma de as pessoas virem para a rua e terem algo para ver. Mas lamento que a isto se tenha chegado. Irene Alves

Comemora-se este ano os 500 anos do Foral de Alhos Vedros, onde nasci


sábado, 5 de abril de 2014



(obrigada Joaquín)

terça-feira, 1 de abril de 2014

“ Uma inquietação enorme fazia-me estremecer os gestos mínimos. Tive receio de endoidecer, não de loucura, mas de ali mesmo. O meu corpo era um grito latente. O meu coração batia como se falasse.”
Livro do Desassossego - Fernando Pessoa