Seguidores

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

DESPERTAR - Célia Laborne Tavares(minha amiga)

 
Assim vestida de verde luminoso
leve , incorpórea, festejo o sol nascente
o universo fluindo paz, música e anunciação.
 
Não a face ou o corpo, os pés ágeis e maleáveis,
não o frio da noite que imatura, rebela-se.
 
Festejo tão só o âmago do que nasce
martirizando-se para expressar-se,
violentando-se pela forma
e pela rude e primeira certeza.
 
Assim alada e assimilante
gloriosamente armada
e voltada para a estrela
troco luz com todos os faróis
para compor a sinfonia para a qual nasci
e preservei-me de embrutecer.
 
Dissolvida em germinações de luz
sinto o lento mas constante despertar
o ascender... o comandar.
 
E festejo o sol nascente
constantemente.
 
 

1 comentário:

Socorro Melo disse...


Lindo, lindo, lindo, Irene! Parabéns! Permite-me copiar para presentear os meus amigos?


Beijos
Socorro Melo